Blog

09/09/2019 0 583

Casamento Judaico

Cada país possui sua peculiaridade e costumes, alguns mais diferentes que outros. Mas todos com sua singularidade, e o casamento judaico é um dos poucos que se assemelha com o brasileiro, no judaísmo o evento é a união de um homem e uma mulher, significando outro nível espiritual com os dois se tornando apenas um, para a cultura é só neste momento que o homem se torna completo.

O Buffet Tulipas, é o lugar perfeito para realizar sua festa de casamento judaica, com elegância e cuidado, a Mansão conta com um grande e belo espaço para dançar e se divertir neste dia tão especial, com serviços de buffet o espaço oferece cardápio próprio e personalizado para ter seu verdadeiro casamento dos sonhos.

Uma das tradições mais costumeiras do judaísmo é a quebra da placa, que simboliza a destruição do templo de Jerusalém. Isso deve acontecer para mostrar que apesar da felicidade do grande dia, eles devem estar tristes também por tudo que aconteceu em seu passado.


Data ideal

De acordo com as tradições judaicas, a cerimônia pode ser realizar qualquer dia, menos no sábado judaico, que vai da sexta-feira ao pôr do sol, até o anoitecer de sábado, mas restrições não param por aí, o casamento não pode ser realizado em dias comemorativos também, como o Ano Novo judaico. O domingo seria o dia ideal para realizar a cerimônia, pois pode ser realizada no sábado a noite e ir até o domingo.


A época é outro ponto que pouca importa já que, não tem um mês específico para celebrar a união dos noivos. Mas a tradição evita comemorações no período entre as festas de Pessach, pois é um momento triste em seus calendários. Onde neste momento os judeus não podem dançar, beber ou ter músicas durante a celebração do casamento.


Ufruf

É o momento em que o noivo vai a sua sinagoga para simbolizar a aproximação do casamento e contar para sua congregação. Assim ele deve orar e pedir ao ‘pai’ forças e bênçãos para ter um bom casamento, entre as famílias mais religiosas o noivo deve receber um banho de doces pelos membros mais jovens, durante essa visita é realizada a Kiddush que é a entrega de comida e vinhos aos fiéis da congregação pelo noivo, esses alimentos devem e são consumidos no mesmo dia pelos noivos e seus familiares.



O Grande Dia 

O dia do casamento é considerado o dia do perdão. De acordo com o costume judaico, o casamento é um meio de Deus perdoar todos os pecados dos noivos e iniciarem uma nova vida juntos, completamente ‘limpos’. Para que isso aconteça os noivos devem passar o dia em jejum e orando, no período que antecede o grande dia, eles também não podem se ver durante uma semana.

Vestido da noiva

As vestimentas do noivo, podem ser como de costume terno e gravata. Já os vestidos das noivas possuem alguns costumes a serem respeitados, devem ser os tradicionais brancos, eles não podem ser tomara que caia ou ter decotes, e até alguns anos atrás, eles só poderiam ser de manga longa, atualmente já mais aceitável o uso de mangas curtas e modelo do vestido do jeito que a noiva preferir. A noiva também pode carregar consigo, um buquê com as flores e modelo que preferir. 


Kipá e Talit

São usados pelos noivos para demonstrar respeito e mostrar que existe um Deus acima de todos que deve ser amado, respeitado e temido, simbolizando que todos são meros mortais e iguais em relação a Deus. 

De acordo com os costumes, os noivos não podem e não devem ficar com esses objetos. Assim os convidados, seja familiares ou amigos costumam guarda-lós.


Este tipo de cerimônia não precisa ser realizada necessariamente em uma sinagoga já que os costumes permanecem os mesmos. Quem procede a cerimônia, não precisa ser necessariamente um líder religioso. Um amigo próximo ou familiar de um dos noivos pode proceder a cerimônia, a única exigência é que seja um membro da comunidade com mais experiência. 


O casamento judaico é muito comparado aos “bohos”, principalmente em relação ao vestido da noiva, que costuma ser mais simples e discreto. 

Para os que seguem esta religião, seguir todos os mandamentos e costumes é uma bênção que Deus está lhes proporcionando.


Chupá ou Khupá (Lê-se Rupá)

O casamento judaico costuma ser realizado em uma espécie de tenda com quatro pilares, sendo aberto dos lados. A chupá simboliza o passado, presente, futuro e o novo lar que os noivos estão formando, embaixo da tenda ficam  os noivos, familiares, amigos mais próximos e quem irá os abençoar. Não é da cultura judaica, ter padrinhos ou madrinhas, então quem “testemunha” a cerimônia são os familiares dos noivos. 


Noiva

A noiva é levada ao altar pelo pai com o rosto descoberto, assim que se aproxima do futuro marido é coberto seu rosto com um véu. Após é acompanhada pela mãe e sogra a dar sete voltas ao redor do noivo, essa tradição sugere que as voltas significam as paredes que a noiva está construindo de sua nova casa com seu futuro marido, o sete também simboliza a criação do mundo em sete dias, a totalidade e integridade que o casal não consegue caso se separem. Em seguida a noiva fica ao lado do noivo, representando sua presença em todos os momentos da vida do casal.


Música

A noiva tem o costume de entrar com uma música tradicional judaica chamada de Boi Beshalom, que significa “Venha em paz”. Além disso todas as músicas durante a festa são religiosas e possuem uma mensagem, não é proibido o uso de música durante a cerimônia ou da marcha nupcial.


Taças de vinho

Durante a cerimônia e a festa, são utilizadas duas taças de vinho. A bebida é símbolo de alegria na tradição judaica, e está ligada a reza de santificação do Shabat e das festividades tradicionais. Os noivos bebem o vinho na mesma taça para simbolizar um gesto de partilha total. Os noivos não podem estar carregando nada nos bolsos, nem estarem utilizando jóias, no intuito de demonstrar a pureza nesta nova fase de suas vidas, sem dar valor ao material. 





Alianças

Devem ser simples de ouro polido, lisas e discretas. No momento em que o noivo coloca a aliança no dedo indicador da noiva, eles estão oficialmente casados, segundo as tradições a noiva não chega a colocar o anel no dedo do então marido. Sendo a aliança um símbolo de lealdade e confiança do casal.


A festa

Depois de uma cerimônia cheia de emoções, as festas de casamento Judaicas costumam ser mais animadas do que as de outros países, com muitas músicas de simbolismo e bênçãos, danças israelitas e o famoso levantar de cadeiras, onde os noivos são levantados pelos convidados. Antigamente em festas mais tradicionais, o salão era dividido para que homens e mulheres não tivessem contato, hoje muitos casais e famílias já deixaram esse costume lado.




Quebra da taça

A quebra da taça com o pé, ocorre ao final da cerimônia como ato de represália à destruição do templo de Jerusalém e representando que os noivos são judeus. 




O Buffet Tulipas é o espaço perfeito para você realizar sua cerimônia, seja ela ecumênica ou simbólica, com muita sofisticação, modernidade e elegância. Gostou? Deseja realizar seu Casamento Judaico conosco? Entre em contato, faça uma visita e venha realizar seu sonho de se casar conforme as suas tradições.


Conte para nós o que você achou da matéria, e o que gostaria de ler em nosso Blog, enviando um e-mail para contato@buffettulipas.com.br


Não deixe de nos seguir em nossas Redes Sociais: Instagram, Facebook e Youtube e Acompanhar as Novidades!


Até a próxima,

Equipe Tulipas.


Realize seu sonho no Buffet Tulipas

Entre em contato com nossas consultoras e receba um orçamento personalizado!

Faça seu evento